quarta-feira, 17 de Setembro de 2014

Orgulho e Preconceito - Jane Austen


Orgulho e Preconceito
Pride and Prejudice

Jane Austen
Livro Único

Editora Relógio D'Água (2012)
360 páginas

Origem: Biblioteca
4/7 - Gostei mas tenho reservas




A chegada de vários jovens marca uma profunda transformação na vida de uma família de classe média rural, os Bennets, e em particular na das suas filhas.
Um desses jovens é Darcy, membro da alta sociedade que se distingue pelo seu orgulho. Desenvolve-se uma série de desafios, de equívocos, de julgamentos apressados, que conduzem à mágoa e ao escândalo, mas também ao auto-conhecimento e amor.


Primeiro de tudo: chamam a isto um romance? Só se for devido ao seu tamanho (género narrativo ficcional em prosa, mais longo que a novela e o conto, etc, etc, conceito tirado da Infopédia). Porque de romântico, até agora nada tem - desculpem-me as aficcionadas por este livro.

Segundo: "A suprema cena cómica em toda a obra de Jane Austen é a rejeição que Elizabeth faz da primeira proposta de casamento de Darcy (...)"? Céus, então que cómica saiu esta Jane Austen! *bastante ironia*


Como podem ver pelos meus comentários durante esta leitura, fiquei maluca de tanta comicidade por parte da autora. Estás a brincar, certo, Sara? Tão pois claro que estou! Quando me dizem (na contracapa do livro) que a cena em que a Elizabeth recusa o primeiro pedido do Darcy é a suprema cena cómica de toda em toda a obra de Jane Austen eu fico parva de espanto quando leio a tal cena, porque de cómica ela não tem absolutamente nada! Nem esta, nem qualquer outra. Ah, não, espera, ali o Senhor Collins é tão parvo e tão irritante que faz o Senhor Bennet (pai da Elizabeth) rir, a ironia com que o Senhor Bennet considera o marido de Lydia o seu genro favorito faz-nos (talvez) rir mas é pela tristeza da coisa ou porque mais vale rir do que ranger os dentes (na primeira) ou mesmo pela ironia do Senhor Bennet (na segunda)! Really, eu não percebo o porquê de tanta gente se baixar e fazer uma vénia a este livro!

Mas bem, não me entendam mal. Não é um mau livro. Percebe-se bem que Jane Austen serve-se da sua obra para criticar a sociedade daquela altura, nomeadamente as maneiras afectadas e arrogantes dos mais nobres e a triste pobreza de espírito de alguns que tendo um título mais baixo fazem de tudo para obter uma vida melhor, nem que isso obrigue ao convívio com gente irritante e com mania que é alguém, ou se expõem ao ridículo. No entanto tudo isto leva que a primeira metade do livro seja do mais aborrecido que há e que nos faça ter vontade de desistir do livro. Claro, não sei quanto a vocês, mas foi o que eu senti. Na segunda metade, a história começa a ser mais interessante, começa a haver mais reviravoltas (claro que a recusa da proposta de casamento de Darcy ajuda a isso, bem como o aumento dos reencontros entre estes dois intervenientes) e aí o interesse pela história aumenta. Devo dizer, no entanto, que não fiquei fã de nenhuma personagem: não consegui criar empatia com a Elizabeth e achei aquela mudança de sentimentos um bocado forçada - não digo isto em relação a deixar de desprezar o Darcy. Mas passar do desprezo a amor em tão pouco tempo e com tão pouco romantismo, aquilo parece muito pensado e pouco sentido. Quanto a Darcy, obviamente gostei mais deles depois da mudança pós-crítica da Elizabeth, mas a sua personalidade passada não fica esquecida. Por outro lado, Jane parece demasiado inocente, sonsa, sei lá que chamar, aquilo de pensar bem de todos, mesmo daqueles que se comprovam ser mal gente, a certo ponto já cheira mal. Mas fiquei contente com o seu desfecho. De resto, não há grandes personagens dignas de nota que já não tenha falado, excepto claro, a irritante e impertinente tia de Darcy (que tinha cá uma lata!), mas felizmente ela recebeu a bofetada de luva branca que merecia.
Enfim, acabei a gostar um pouco mais da história, mas podem crer que as coisas de que me irei lembrar são maioritariamente da segunda metade da obra. E tendo já outro livro desta autora como um falhanço (Ema) não volto a pegar num livro desta senhora assim tão cedo.

terça-feira, 16 de Setembro de 2014

[TAG] Goodreads


Já vi esta TAG duas vezes (senão mais), quer no blog Singularidades de Uma Rapariga Loira - que a traduziu do espanhol para português - quer no blog O Prazer das Coisas.

Achei esta TAG bastante interessante, uma vez que fala de um site literário que utilizo desde os finais de 2011, ou seja há quase três anos, e sinceramente não sei como consegui andar todos estes anos sem o utilizar. É sem dúvida uma das melhores ferramentas para organizar livros lidos, para encontrar novos livros para ler e os registar numa lista, para escrever as nossas opiniões sobre eles, para encontrar pessoas com quem discutir (o quê?) livros ... entre tantas outras coisas. É um site essencial a qualquer pessoa que goste de livros e cujo hobbie principal (ou um deles) seja ler.
Dito isto, (em)bora lá responder à TAG.


1. Qual o último livro que marcaste como "lido"?
Tenho o Crime no Vicariato, de Agatha Christie, como o último lido, se bem que na realidade, o último livro que li tenha sido Lágrimas do Sol e da Lua, da Sandra Carvalho. Só que o tenho registado como estando ainda a ser lido (a 100%) porque ainda não escrevi a opinião sobre o livro e prefiro manter o sistema assim (como podem ver na pergunta abaixo).



2. Qual ou quais os livros que estás a ler no momento?
Ando a ler o Encontro Mortal (J. D. Robb) e tenho em stand-by Se a Enfermagem Falasse... (Rodrigo Martins Cardoso) e Twelve Days of Christmas (Trisha Ashley).



3. Qual o último livro que marcaste como "To Read", isto é, "A Ler"?
Obsidian, da série Lux, de Jennifer L. Armentrout.



4. Qual o livro que planeias ler em seguida?
Só em Sonhos da Sherrilyn Kenyon.

22034860


5. Usas o sistema de estrelas para classificar os livros?
Sim, embora utilize um sistema diferente no blog, como dá para reparar. Tenho no entanto, uma espécie de correspondência entre ambos.


6. Estabeleceste alguma meta de livros a ler este ano?
Sim. Estabeleci no Desafio do Goodreads ler 50 livros este ano, desafio esse já ultrapassado no início deste mês! Vamos a ver quantos livros consigo ler a mais que isso :)



7. Tens alguma "Wishlist", ou seja, "Lista de Desejos"?
Sim, tenho-a até à espreita no lado direito do blog, para quem quiser ver (e quem sabe oferecer) :P


8. Que livro planeias comprar em breve?
Sinceramente não sei. Ando com alguns livros da Nora Roberts debaixo de olho para completar duas séries, mas não sei se irei comprar algum outro livro antes disso. Depende das oportunidades que aparecem e do dinheiro disponível (claro!).


9. Tens alguma citação preferida?
Sinceramente não sou pessoa para relembrar muitas citações. Para confirmar isso, tenho apenas duas no Goodreads (que agora em segundos já passaram a sete xD ) que até nem são muito marcantes, apenas divertidas. Talvez a preferida de todas seja "A minha filha não, sua cabra!" da imemorável Mrs. Molly Weasley :D



10. Pertences a algum grupo no Goodreads?
Sim, pertenço a quatro se bem que estou mais atenta a estes dois: Sou fã de sagas! e Só Ler Não Basta.




Convido todos os que utilizam este site a responderem a esta TAG, caso ainda não o fizeram.
Se nunca visitaste o Goodreads, convido-te a fazê-lo! :)

segunda-feira, 15 de Setembro de 2014

Parabéns Editorial Presença!

Não, que eu saiba, a Editorial Presença não faz anos hoje. Mas merece um aplauso pelo bom atendimento ao cliente e rápida resolução de problemas.

Vou então contar-vos o que aconteceu: em Abril, aproveitei um desconto de 50% que a Editorial Presença estava a fazer em todos os livros com mais de 18 meses para comprar metade d'A Saga das Pedras Mágicas - comprei então os primeiros quatro livros, pagando o preço de apenas dois.
Estava especialmente ansiosa por ter nas minhas mãos O Guerreiro Lobo, o primeiro livro que li da saga (embora seja o segundo) e que reli vezes e vezes sem conta enquanto não pude meter a mão aos outros livros da série - como podem ver é o meu favorito até agora, até o comentei mal o recebi no facebook.


Qual é o meu espanto, quando o abro e reparo que as páginas estavam ao contrário. Há ali um momento de choque, de paragem no tempo, após o qual volto a fechar o livro, certificar-me que o estou a abrir bem, e que sim, confirma-se, houve um erro no encapamento do livro, levando a que o manuscrito ficasse ao contrário face à capa.



Mando então um email para o apoio ao cliente, no próprio site. Aqui, houve um erro, pelo que me disseram, pois abriram a minha mensagem, mas não lhe deram encaminhamento. Como não via resposta, mandei mensagem pelo facebook, ao qual me respondem que iriam enviar rapidamente um livro novo e na qual pedem desculpas por ambas as situações.


Recebi então o segundo O Guerreiro Lobo, este sim em boas condições, se não me engana a memória, um ou dois dias depois (sei que foi em Correio Rápido ou Azul - something like that), após ter enviado as duas mensagens. Fiquei positivamente impressionada pela rapidez com que solucionaram o problema e enviaram o livro.


Basicamente, creio que devemos criticar as editoras quando estas não têm respeito ou desiludem o cliente , neste caso, nós leitores, - como tem acontecido muito ultimamente, com séries incompletas, livros não publicados, respostas mal ou não dadas, etc. No entanto, as editoras que nos prezam e nos prestam um bom serviço devem ser igualmente aclamadas quando o fazem. Apesar do erro inicial quando enviei a minha primeira mensagem, só devo dizer bem desta editora, quer pelos constantes descontos que faz, quer pelo óptimo serviço ao cliente que me prestou nesta situação. 
Por isso, muito obrigada Editorial Presença e parabéns pelo excelente serviço :)


Como disse neste post, a ideia deste agradecimento já estava presente desde que a situação aconteceu, pois já que comentei o meu desagrado perante a mesma no facebook, também deveria enaltecer a editora pela sua excelente resolução. No entanto para vergonha minha, não o fiz de caminho e entretanto andei ausente do blog. Porém, apesar da demora, não poderia deixar de o fazer.
O livro duplicado está entretanto junto com um outro para serem dados à biblioteca municipal.

quarta-feira, 10 de Setembro de 2014

Irritada com...


... a colecção Barroco Tropical d'O Boticário. Linda, linda, linda, mas chegamos à loja e deparamo-nos com sombras e blush cuja pigmentação poderia ser bem melhor, sombras cremosas que só dão brilho e com a ausência dos pincéis e batons tão desejados! Parece que estes ficaram do outro lado do oceano... :(




... e com o exterior do livro Só em Sonhos da Sherrilyn Kenyon editado pela Saída de Emergência. A Editora quis inovar, pedindo aos fãs no facebook para os ajudar a escolher a capa. Penso que a maioria escolheu a opção A por ser mais parecida com as capas dos livros anteriores, tendo ainda assim muitas diferenças. Já conformada com essas diferenças, nunca pensei que iria passar por ele, no meio de outros livros da mesma série e não lhe ligar nenhuma por pensar que era um livro que estava no sítio errado e não o livro que esperava há tanto tempo! Fiquei chocada quando reparei que aquele era o Só em Sonhos e tinha uma lombada que divergia tanto das anteriores a ponto de não a reconhecer como fazendo parte daquela série. Para quê, minha gente? Cansa assim tanto manter um determinado estilo numa colecção da mesma autora? [já não basta o que fazem na série da J. D. Robb?]


São estes os meus desabafos de hoje. Alguém concorda ou discorda?
Beijinhos

terça-feira, 9 de Setembro de 2014

O Cantinho em Abril e Maio

[Post escrito em Junho com pequenas alterações]

Abril e Maio foram meses que passaram a correr para mim. Por inúmeras razões (algumas delas as do costume) fiz poucos posts nestes dois meses, pelo que decidi juntar os dois posts sobre os dois meses num só - estarmos já em Junho Setembro também ajuda a tomar essa decisão... -.-"

Livros Lidos
Abril
1. A Chama de Sevenwaters - Juliet Marillier - 6
2. Os Contos de Beedle o Bardo - J. K. Rowling - 5
3. Dolci di Love - Sarah-Kate Lynch - 5
# À Solta da Noite - Sherrilyn Kenyon
# Jogos na Noite - Sherrilyn Kenyon
# O Lado Negro da Lua - Sherrilyn Kenyon
4. Ligeiramente Casados - Mary Balogh - 5
5. O Colégio das Quatro Torres [Opinião conjunta  da série] - Enid Blyton - 5
6. O Segundo Ano no Colégio das Quatro Torres - Enid Blyton - 5 
7. O Terceiro Ano no Colégio das Quatro Torres - Enid Blyton - 4
8. O Quarto Ano no Colégio das Quatro Torres - Enid Blyton - 5
9. O Quinto Ano no Colégio das Quatro Torres - Enid Blyton - 5
10. O Último Ano no Colégio das Quatro Torres - Enid Blyton - 5
11. Um Novo Período no Colégio das Quatro Torres - Pamela Cox - 5

Abril foi sobretudo dedicado à releitura de livros fantásticos que adoro e ao regresso a livros mais infantis. Adorei voltar a ler livros mais simples, voltar à escrita da Enid Blyton - a semana que dediquei a estes livros foi bastante alegre e deixou-me com uma enorme vontade de embarcar em leituras mais pesadas/complexas. No entanto, nem por isso deixo de ter vontade de voltar a este tipo de leituras. Já tenho uma outra colecção da Enid Blyton em espera :)

Maio
1. Rainha das Trevas - Anne Bishop - 5
2. Paixão Bordeaux - Rosie Thomas - 3
3. À Luz da Meia-Noite - Sherrilyn Kenyon - 4
# Amante de Sonho - Sherrilyn Kenyon
# A Chave da Coragem - Nora Roberts
4. Peripécias do Coração - Julia Quinn - 6
5. A Estranha Vida de Nobody Owens - Neil Gaiman - 5

Maio foi um mês intermédio que me presenteou com boas leituras e outras mais desinteressantes. Felizmente as boas leituras (e releituras) excederam as outras :)


Favoritos e Desilusões

1799936015723215

A Chama de Sevenwaters revelou-se um excelente fim para a segunda Trilogia de Sevenwaters. Com algumas coisas previsíveis e outras não, esta foi uma história com protagonistas excepcionais e uma história bastante bonita e que encerra o véu sobre este universo mágico. Quanto a Peripécias do Coração, este foi o livro que confirmou o meu gosto pela autora e pela série Bridgertons. Ai, a vontade que eu tenho de pegar nos livros seguintes! É uma história bastante bonita e bem mais complexa do que a sinopse indica.


13486768

Este foi o livro que me levou a decidir a não voltar a pegar em livros da Rosie Thomas. Todos os livros que li dela são desinteressantes, com indecisões eternas por parte dos seus protagonistas, personagens estas que não me aquecem nem arrefecem. O desinteresse é tal que só quero relegar estas memórias para o esquecimento.


Desafios
Goodreads Reading Challenge
Encontro-me já bem à frente do que seria suposto no desafio. Aliás, se tivesse escolhido ler 60 livros este ano, estaria precisamente a meio. A ver vamos, se ainda mudo a meta final daqui a uns meses...

2014 Finishing the Series Reading Challenge
Nestes dois meses, acabei mais duas trilogias, a segunda Trilogia de Sevenwaters de Juliet Marillier (que quero que faça parte da minha colecção) e a Trilogia das Jóias Negras de Anne Bishop. Esta última proporcionou leituras agradáveis, se bem que algo confusas, pois não consegui entender bem o universo. Tenho tentado seguir este desafio e estou a gostar bastante dos resultados :D


Livros comprados

O caos! A desgraça! A ruína da minha carteira! Só assim posso descrever estes dois meses em termos de compras :/


Isto foi em Abril, aproveitando livros que vêm com revistas e promoções de 50% de desconto na Editorial Presença.


 Estes dois da série da Nora Roberts foram comprados em Feiras do Livro e o da Julia Quinn no Continente com um preço muito simpático :)


Outros

  • As desilusões no mundo bibliófilo não se devem apenas a livros. Infelizmente também as editoras nos desiludem - este foi o meu desabafo. 
  • Por outro lado, há editoras que convém realçar. Na altura, para grande vergonha minha, não escrevi nada, mas hei-de fazê-lo brevemente.
  • Em Abril, as Perguntas das Semanas foram sobre escritoras da nossa infância: podem ver aqui e aqui.
  • Por fim, a TAG sobre a minha vida de leitora. Teve início bem cedo e espero que continue por muito tempo :)

Vou tentar fazer brevemente um resumo dos meses que se seguiram. Esperem também muitas opiniões literárias :)

segunda-feira, 8 de Setembro de 2014

A Estranha Vida de Nobody Owens - Neil Gaiman


A Estranha Vida de Nobody Owens
The Graveyard Book

Neil Gaiman
Livro Único

Editorial Presença (2010)
299 páginas

Origem: Biblioteca
5/7 - Gostei




Nobody Owens podia ser um rapaz absolutamente normal, tirando o facto de viver num cemitério e de ter sido criado por fantasmas e almas penadas sempre guardado por Silas, o guarda solitário que não está nem morto nem vivo.


Este livro é algo de impensável, algo de inimaginável. Digo isto, porque li a sua sinopse, li várias opiniões sobre ele - que me fizeram ter vontade de o ler - mas nunca imaginei que ele iria ser como foi. Neil Gaiman tem o dom de imaginar coisas "do arco da velha" mesmo, mundos estranhos e impensáveis, mas que de alguma forma acabam por fazer sentido e nos prender neles até acabarmos a história.
N'a Estranha Vida de Nobody Owens vamos acompanhado a estranha vida de Nobody Owens, que ganhou este nome no dia em que a sua família é assassinada e este é adoptado por uma família do cemitério, os Owens. A partir daí ganha o privilégio do cemitério, que lhe dá estranhas características mas que o mantém escondido dos humanos que visitam o cemitério (a não ser que ele queira ser visto) e explorar muitas coisas dentro deste estranho lugar. Este rapaz tem das mais estranhas aventuras, com habitantes do cemitério e não só e vai adquirindo conhecimentos, alguns bastantes estranhos. Mas no entanto, apesar de parecer que algumas destas coisas são desconexas, no final vamos ver que elas são necessárias e que vão dar um grande jeito ao Bod (alcunha por que Nobody é conhecido). A par de Bod temos ainda outras personagens a conhecer: Silas, o seu tutor que não é morto nem vivo; a bruxa que vive do lado de fora do cemitério; a rapariga humana que Bod conhece e de quem se torna amigo; a Dama Cinzenta; os rufias da escola; o Seer (espero não me enganar no nome), uma figura estranha que espera o seu amo há milénios... enfim, há um sem número de figuras e personagens estranhas neste livro. E claro, não nos podemos esquecer de Jack, o assassino da família humana de Bod que o procura por tudo o que é sítio a fim de acabar o serviço que fez... as suas razões são misteriosas e só as conheceremos mais no fim. Mas uma coisa vos digo: [Alerta Spoiler] quando é feita alguma profecia, o mais certo é ela acontecer quando vocês fazem de tudo para a evitar - ou seja, mais vale estar quietos, porque podem ser os maiores causadores do que ela professa.... 
Este é um livro que vale a pena ler, tanto miúdos como graúdos.

sexta-feira, 5 de Setembro de 2014

Peripécias do Coração - Julia Quinn


Peripécias do Coração
The Viscount Who Loved Me

Julia Quinn
Bridgertons #2

Edições ASA (2012)
384 páginas

Origem: Estante Pessoal
6/7 - Gostei bastante




A sensata Kate Sheffield está decidida a encontrar para a sua meia-irmã Edwina um marido de reputação impecável. Mal ela sabe que o visconde Anthony Bridgerton já traçou um plano... que inclui a belíssima jovem! E ele não está habituado a ser contrariado... Embora Anthony seja o solteirão mais cobiçado da temporada, a sua reputação de mulherengo perturba Kate. Ela terá de agir rapidamente, pois Edwina vê com muito bons olhos os avanços do visconde. Mas Edwina fez uma promessa que não está disposta a quebrar: nunca casará sem a bênção de Kate. Cabe, pois, a Anthony convencer aquela que (espera) será a sua futura cunhada. Ele é um homem determinado e seguro de si... e não contava encontrar uma adversária à sua altura. Frente a frente, Kate e Anthony apercebem-se de que têm mais em comum do que imaginaram. Mas o que os une ameaça separá-los para sempre.


Pronto, é definitivo, esta autora passou a constar da minha lista de autores favoritos! Daqueles autores que sei que vou adorar cada livro que escrevam! Já sei que posso esperar livros bem românticos, com personagens reais, com gargalhadas e lágrimas ao canto do olho garantidos de Julia Quinn. Para verem o quanto gostei mesmo desta autora, eu acabei este livro a pensar "Quero mais!". Nem mais nem menos.

Quando li a sinopse do livro, até achei que já estava a ver como a história se ia desenrolar e tal. Mas na verdade, não sabia eu da missa a metade. A história é tudo o que a sinopse diz mas é muito mais que isso, porque aquele textinho que nos apresentam na contracapa do livro não nos fala das personagens que nos vão apaixonar, dos seus sentimentos, dos seus medos, dos seus relacionamentos, etc, etc.

Este foi um livro que me apaixonou, quer pelo romance entre os protagonistas (que não estava nada fácil), pelas suas características, pela forma como eles ultrapassaram os seus medos, pelo relacionamento com as suas famílias (o jogo que têm a meio do jogo é delicioso até dizer mais não!). As críticas cínicas mas sempre verdadeiras da Lady Whistledown são outro apontamento misterioso e bem divertido com que a autora nos presenteia... As dúvidas surgem, suspeitas também, mas ainda não sei quem é a senhora. E estou bem curiosa para saber quem é!

Enfim, de momento não sei escrever uma melhor crítica a este livro. Só vos posso dizer que Peripécias do Coração é um livro cheio para quem adora romances históricos, com uma boa dose de gargalhadas e sentimentos. Recomendo :)


Livro anterior