quinta-feira, 17 de Abril de 2014

Dolci di Love - Sarah-Kate Lynch


Dolci di Love

Sarah-Kate Lynch
Livro Único

Editorial Presença (2012)
280 páginas

Origem: Biblioteca
5/7 - Gostei





Estrela do mundo dos negócios em Manhattan, Lily Turner descobre que Daniel, o seu marido "perfeito", tem outra família ali escondida, nas colinas da Toscania. Depois de lá chegar, o seu drama atrai a atenção da Liga Secreta das Viúvas Cerzideiras, uma espécie de exército invisível que se reúne para criar finais felizes Este complexo enredo cheio de humor desenrola-se na atmosfera estival e sumptuosa da paisagem toscana aromatizada pelos deliciosos cantucci, os Dolci di Love, confecionados segundo uma antiga receita que faz deles uma celebração à vida e à alegria de viver. Uma leitura ideal para o Dia dos Namorados.


Dolci di Love é um romance. Mas não um romance como estamos todos habituados. Peguemos num casal desfeito, pais sem filhos, filhos sem pais de jeito, senhoras viúvas com mais anos do que nós julgaríamos possível, um coração a precisar de ser remendado ou talvez não - façamos uma salganhada com isto e vemos o que acontece... Parece que não, mas isto no fim vai dar um belo conjunto onde tudo fica bem.
Este é um belo romance que vale a pena ler - entre a tristeza de não ter filhos, a alegria de encontrá-los, o perdão e o amor que ainda não acabou - temos aqui uma boa leitura.

quarta-feira, 9 de Abril de 2014

Pergunta da Semana - Autores Favoritos na Infância III

Pergunta da Semana photo PerguntadaSemana.png


Continuamos na nossa viagem pela infância/início da adolescência...

Quem foi/foram os autores portugueses que mais vos marcaram nessa altura?
E com que livro/série?


Esta é uma pergunta com muitas respostas possíveis, já que felizmente temos muita literatura portuguesa para esta camada da sociedade. Mas consigo responder facilmente: Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada conquistaram-me com a colecção Uma Aventura! Desde o quarto ano em que recebi Uma Aventura na Biblioteca até há poucos anos em que enveredei por outros tipos de leitura, li todos os livros a que consegui meter mão - na altura em que a abandonei a colecção estava já no número 51. As saudades que agora despertaram! Foram bons e excelentes momentos que passei com estes livros... :)


Fico à espera da vossa resposta!
Deixa a tua resposta aqui nos comentários, no face ou no teu blog. Caso faças a última escolha, refere o blog Cantinho da Neptuno e deixa aqui o link, para eu cuscar a tua resposta :)
Obrigada por participares neste desafio!

terça-feira, 8 de Abril de 2014

Os Contos de Beedle o Bardo - J. K. Rowling


Os Contos de Beedle o Bardo
The Tales of Beedle the Bard

J. K. Rowling
Hogwarts Library

Editorial Presença (2008)
110 páginas

Origem: Biblioteca
5/7 - Gostei




Os Contos de Beedle o Bardo oferecem-nos cinco histórias de feitiçaria, cada uma com a sua magia muito própria, que prometem deliciar, divertir e até arrepiar os leitores.

Cada conto é acompanhado de notas da autoria do Professor Albus Dumbledore, que agradarão tanto a Muggles como a feiticeiros. O Professor reflecte sobre as questões morais levantadas nos contos, ao mesmo tempo que revela pequenos detalhes sobre a vida em Hogwarts.

Este é um livro mágico, único e intemporal, escritor e ilustrado por J.K. Rowling, autora da famosa série Harry Potter.


Esta é uma leitura leve. Tal como diz o título, trata-se de um livro de contos e tal como diz o seu número de páginas, trata-se de um livro de contos bem pequenos. Mas este livro não é só um livro e contos pequenos. É um livro de contos do universo de Harry Potter, é o livro de contos que vai fazer a diferença no desfecho de Harry Potter graças ao último conto que contém e é um livro ainda enriquecido simplesmente com os comentários do senhor professor Albus Dumbledore, o maior dos feiticeiros daquela época segundo muitos. E por isso, foi um livro que li contente, se bem que fiquei com pena de ser tão pequeno. Lê-se bem, lê-se rápido. E relembra-se o quão bom foi conhecer o mundo de Harry Potter, a escola de Hogwarts e a imensa vontade de fazermos parte dela.
Para os fãs de Harry Potter que ainda não leram... estão à espera de quê?!?

Agora a sério, isto não é nenhuma genialidade como é os sete livros de Harry Potter. Ainda assim, é uma boa leitura :)

segunda-feira, 7 de Abril de 2014

A Chama de Sevenwaters - Juliet Marillier


A Chama de Sevenwaters
Flame of Sevenwaters

Juliet Marillier
Sevenwaters #6

Editora Planeta (2013)
424 páginas

Origem: Biblioteca
6/7 - Gostei bastante

+1 Finish The Series Reading Challenge 2014


Dez anos depois do terrível incêndio que quase lhe custou a vida, Maeve, filha de Lorde Sean de Sevenwaters, regressa a casa. Traz nas mãos disformes as marcas desse acidente e dentro de si a coragem férrea de Liadan e Bran, os pais adoptivos, e um dom muito especial para lidar com os animais mais difíceis. Embora as cicatrizes se tenham fechado, Maeve ainda teme as sombras do passado — e o regresso a casa não se faz sem dificuldades. Até porque Sevenwaters está à beira do caos.


Realmente A Chama de Sevenwaters volta a subir a fasquia das histórias de Sevewaters (comparando aos dois últimos). Neste livro, começamos a acompanhar Maeve, a filha de Sean que ficou queimada no fogo provocado dez anos anos antes. Apesar de ter ficado com o coração destroçado devido à morte do seu querido cão que tentara salvar, Maeve não fechou o coração aos animais. Aliás, utiliza o espectacular dom que possui de acalmar os animais com a sua voz para deleite e benefício de muitos.

No princípio do livro vemos Maeve a regressar à sua terra-natal, mas que para si se tornou estranha - também estranha vai ser a sua relação com os familiares já que tanto mudou. Mas ao contrário de tudo o resto, não há nada de estranho entre Maeve e Finbar, o seu pequeno irmão que apesar dos seus sete anos encerra segredos e atitudes bastante adultas. Maeve vai também encontrar quem lhe cure a ferida que a morte do seu antigo cão lhe provocou - dois cães esfaimados e desconfiados aparecem e Maeve vai fazer de tudo para cuidar deles e conquistar a sua confiança. Urso e Texugo vão ser fundamentais - quer para o seu coração quer para o quem vem a seguir. Numa corrida contra o tempo, Maeve vai ter que correr para salvar o seu irmão, salvar os seus queridos cães, Swift, o precioso cavalo que trouxe consigo e vai acabar por salvar muito mais do que espera - Sevenwaters precisa de si. Neste livro vamos também admirar Ciáran, alguém que já sofreu muito, alguém que tem estado muito na retaguarda, mas ainda tem algo para dar. É ele que vai fazer a diferença - a história não podia tomar este rumo sem ele.

Esta foi uma história que adorei ler. Para além do tão desejado regresso a Sevenwaters, pude regressar à escrita de Juliet Marillier, uma autora muito querida que me consquistou com o primeiro livro desta saga. E neste livro, Juliet Marillier consegue provar que apesar de ter sido quase obrigada a escrever mais livros para além da trilogia original, consegue escrever algo lindo e com fundamento. Ao lermos este livro, vemos que a autora pegou em algo que começou na trilogia inicial e deu-lhe uma história que parecia não ter ligações para além das óbvias (a família e o mundo construído) mas afinal tinha. O Herdeiro de Sevenwaters e A Vidente de Sevenwaters parecem histórias desligadas, escritas só porque sim. Mas ao lermos A Chama de Sevenwaters vemos que a autora estava a olhar mais além, principalmente quando escreveu o Herdeiro, que tem várias ligações a este livro, várias pontas soltas que serão ligadas nesta história.
Só vos posso dizer que este livro é melhor que os dois restantes, tem uma escrita e uma história que associamos mais à autora e faz-nos ficar pasmados perante certos acontecimentos e sobretudo personagens. Acreditem, há algumas que vos irão surpreender.
Nesta história há mais crueldade por parte dos seres do Outro Mundo, parece que não vemos um que seja bondoso com a família Sevenwaters (ao contrário dos restantes livros onde houve ajuda por parte destes seres) e em várias alturas nem tudo o que parece é. Há acontecimentos inesperados mas acho que também há alguns que conseguimos adivinhar e ficamos contentes por termos razão - aconteceu-me isso particularmente com o final de Urso e Texugo.

Este livro vai deixar saudades. Não apenas porque voltou a trazer a escrita da autora ao seu auge como também significa a despedida a este mundo, a esta família que tanto gostamos. Mas espero que não. Espero que a autora tenha algo na manga e nos faça deliciar uma vez mais com Sevenwaters.

quarta-feira, 2 de Abril de 2014

Pergunta da Semana - Autores Favoritos na Infância II

Pergunta da Semana photo PerguntadaSemana.png

Autora de 762 livros...
Criadora do personagem Noddy...
Chegou a escrever 40 livros por ano...
Acusada de xenofobia, sexismo e racismo...
Dramatizada em filme por Helena Bonham Carter...


A autora mais marcante nas nossas infâncias foi... 


Esta também a autora de que mais me lembro quando penso nas leituras da minha infância e adolescência, pelo que fico contente por ver que também é lembrada por muitos de vós. Mas de entre a sua enorme bibliografia, qual é o livro ou conjunto de livros que mais gostaram?


Devo dizer que li muitos livros seus, de várias séries, que me proporcionaram excelentes leituras, pelo que a escolha é algo difícil. Mas penso que escolho Os Cinco, pois foram os que mais acompanhei e os que mais me fazem lembrar da autora. Mas também gostei muito dos livros que li do Colégio de Santa Clara e da série O Mistério. E como na altura não tive a oportunidade de ler mais destes livros e agora tenho, ando com vontade de retomar as minhas leituras desta autora. :)
E vocês, qual série by Enid Blyton vos marcou mais?

Deixa a tua resposta aqui nos comentários, no face ou no teu blog. Caso faças a última escolha, refere o blog Cantinho da Neptuno e deixa aqui o link, para eu cuscar a tua resposta :)
Obrigada por participares neste desafio!

domingo, 30 de Março de 2014

Seguir o blog pelo Google Friend Connect

Olá!
Tenho lido que tem sido difícil, senão impossível, seguir blogs pelo dispositivo do Google Friend Connect, deixado na coluna esquerda. Assim sendo, quem o quiser fazer, pode fazê-lo por este link.

Quem estiver com o mesmo problema nos seus blogs, podem encontrar a solução neste post do blog Let's Talk About... Beauty.
Espero ter ajudado.

sexta-feira, 28 de Março de 2014

Espuma de Limpeza Tea Tree - The Body Shop

Nos últimos meses tenho andado bastante ausente no que toca a cosmética. Não sei bem porquê, talvez porque seja mais fácil ou seguro opinar sobre livros (quando fundei o blog, achava o contrário...). Mas como tenho opiniões sobre várias coisas que uso, não sou mais nem menos para comentar o que acho delas, daí lutar comigo mesma e aqui estou para dizer o que achei desta espuma de limpeza.


Só me lembrei de fazer review desta espuma um dia ou dois após tê-la acabado e quando dei por ela, já tinha ido para o lixo, por isso tive de recorrer à internet para obter uma imagem. Esta espuma de limpeza é da linha Tea Tree da The Body Shop, uma linha desenhada para quem sofre de acne. Comprei-a há uns dois anos, quando ainda tinha acne severo mas como não me dei bem com a sua forma de uso, deixei-a a ganhar pó durante muitos meses. O acne lá desapareceu quando o médico me receitou a pílula para o efeito - era mesmo um problema hormonal - testado e confirmado, porque ele achou que agora já não valia a pena tomar mais e as borbulhas já começaram a voltar :S

Voltando à espuma, comecei a usá-la há quase um ano. Ajeitei-me com ela quando dei conta que funcionava bem em pele húmida. Durante a maioria do tempo em que a usei andava com pele normal, e senti que ela fazia a sua função, limpava bem a pele, mas deixava-a a repuxar um pouco se eu não a hidratasse logo a seguir. No entanto, nos últimos dois meses, quando deixei de tomar a pílula, a minha pele começou a tornar-se oleosa e a sensação de repuxar desapareceu, pelo que acho que ela é realmente adequada para peles mistas a oleosas.

Quanto ao efeito no acne, acho que a espuma ajuda um pouco a reduzir as borbulhas, pelo que observei nestes dois últimos meses de uso. Quando esta acabou, as ditas cujas começaram a aparecer em maior quantidade e a durar mais tempo. Coincidência? Não sei, mas acho que vou apostar na espuma outra vez, se esta fase de acne não for provisória...

Quanto à forma como dispensa o produto, fá-lo através de um pump bem regulável, onde um pump dá perfeitamente para a cara toda. O produto vem liquido e passa a espuma pelo tubo acima - penso que esta forma de limpeza acaba por não usar muito produto de cada vez. Uma embalagem dura meses e meses.

Este é um produto a que não dei muita importância quando tinha a pele normal, mas que mostrou o seu valor quando a minha pele voltou a ser mista/oleosa. Penso que voltarei a comprar se não encontrar nenhum que se adeqúe ao estado da minha pele agora.