terça-feira, 1 de março de 2011

Orbias - Fábio Ventura

Olá!
Voltei a escrever a minha opinião sobre os livros que li. Este livro foi lido no ano passado pelo que ainda o classifiquei de 1 a 10. Enquanto continuar com as críticas dos livros de 2010, farei referência a esta escala.


Quem disse que as raparigas não conseguiam ser sensuais e fortes ao mesmo tempo? 
Noemi é fã de cinema e séries de acção e aventura. Mas nunca imaginou que ela própria faria o papel de uma dessas personagens que de um momento para o outro vêem a sua vida normal dá uma volta de 180 graus. De uma forma pouco ortodoxa, descobre que é um Anjo, uma Guerreira ancestral renascida e que, numa dimensão paralela à da Terra, existe um mundo mágico regido por uma Deusa - Orbias. 
Mas Noemi não terá apenas de lidar com os seus novos poderes e responsabilidades. Terá também de se confrontar com os perigos e emoções aos quais não estava habituada, especialmente um sentimento em relação a Sebastian, um orbiano sedutor… Conseguirá ela superar a sua fragilidade e conflitos interiores para salvar os dois mundos da destruição? 
Orbias é uma aventura fantástica repleta de acção, sensualidade, personagens e cenários surreais, humor e magia. Uma obra essencial para quem gosta de uma história cheia de surpresas e fantasia moderna.


[Atenção: A crítica tem spoilers]

Orbias… Peguei neste livro com algumas expectativas. Tinha uma boa sinopse, uma capa bonita que inspiravam uma boa leitura. E para mais, sabia já haver continuação, pelo que acreditei ser uma boa obra. Pois é, quando temos expectativas em relação a algo, uma coisa é certa: arriscamos a desiludirmo-nos ou a ver essas expectativas correspondidas. Como um amigo meu diz, uma desilusão é o fim de uma ilusão. Foi o que aconteceu com este livro. Cheguei ao fim deste a ver que as minhas expectativas eram uma ilusão.
Comecemos pelo inicio. Personagens que andam na universidade, mas que demonstram a maturidade de garotas de 12 e 13 anos. Uma linguagem que demonstra que estas personagens apesar de viverem numa cidade americana viram muita Floribela. A expressão super, hiper, mega, diz alguma coisa?
Continuando, achei muita coincidência muitas das personagens serem oriundas da mesma cidade e andarem na mesma universidade, havendo tanto sítio onde estas poderiam viver e tantas universidades onde poderam estudar. A história continua, a amizade começa entre as protagonitas, um amor que sobrevive aos milénios surge. Dois mundos, uma conspiração, sociedades secretas com objectivos duplos e as nossas protagonistas com fatos inspirados na Sailor Moon são os pontos principais da história. Apesar das pérolas que mencionei, achei que a história podia ainda ter interesse e continuei. Afinal tinha bases que bem trabalhadas podiam dar uma boa história. Continuei a ler. Chega o confronto final. E aí é que a história mete os pés pelas mãos. A conspiração de cada uma das duas sociedades afinal não são o que se pensava, quem queria unir os mundos afinal queria separá-los por completo, aquela que supostamente era uma guerreira afinal era uma impostora e a história que é contada ao inicio afinal é tudo falso. A isto junta-se uma morte toda patética, a suposta morte de outra pessoa, a ressurreição da primeira que fica toda depressiva quando vê que o amado de milénios morreu. E chegamos ao final a perceber que afinal esse amado não morreu, e que afinal estavam a fingir. Quer dizer chegamos ao final da história com a verdade a ser mentira, e o que é verdade é uma grande chachada. O autor quis presentearmos com uma história de fantasia, em que nem tudo é o que parece, mas para mim exagerou na dose. Acabámos por ter uma história infantil, uma grande chachada.
Dei a este livro uma classificação de 5 (na classificação de 2010), embora olhe para trás e ache que merecia menos. Dei esse valor por achar que o principio da história tinha valor, mas que o meio e final tinham sido desilusões. Não tenciono ler a continuação, mas se vir alguém que ache que a continuação é uma grande evolução tendo por comparação este livro pode ser que reconsidere. Gostava que fosse verdade, embora tenha aprendido a lição e não tenha nenhumas expectativas em relação a isso.

Sem comentários:

Enviar um comentário