quarta-feira, 14 de março de 2012

Conta-me os Teus Segredos - Rosie Thomas

Por vezes, as vítimas da tragédia são aqueles que sobrevivem.
Annie e Steve pertencem a mundos diferentes. Ela é esposa e mãe, ele é um executivo endinheirado com um longo historial de relações terminadas.
São perfeitos desconhecidos até uma bela manhã, em que ambos são vítimas de um atentado à bomba. Atirados para os escombros, tentam manter-se vivos com tudo o que lhes resta: a esperança que cada um dá ao outro.
Deitados na escuridão, as horas custam a passar. Conversam para afastar os medos e isso é tudo o que os mantém agarrados à vida. Nenhum segredo fica por revelar: as desilusões, os amores, os falhanços, e os sonhos. Sem se darem conta, criam um laço mais forte
que o familiar, que o da amizade, que o próprio amor. Com tamanha intimidade e confiança, como podem enfrentar o futuro um sem o outro?


O livro tem uma boa história inicial para se ler. A cena da bomba, a parte em que os protagonistas estão soterrados muitas horas, a parte da recuperação. Como diz na sinopse as horas que eles passam soterrados fazem com que criem um laço mais forte que o familiar, o da amizade, do próprio amor. Isso é verdade, o que coloca Annie perante um dilema: escolher entre a própria família que inclui o marido que ela já não ama, e Steve que ela ama e sem o qual não consegue viver. Até aqui muito bem. O problema é quando ela permanece neste dilema tempos sem fim, ora escolhe ficar com Steve, ora volta casa, depois volta a querer ficar com Steve, depois lá lhe dá na consciência e decide voltar para a família... começa a tornar-se aborrecido.
Era uma história com uma boa premissa mas que acabou por se alongar demasiado.
Fico agora com dúvidas, se devo dar outra chance à escrita de Rosie Thomas... Talvez pegue noutro livro dela (há muitos nas bibliotecas que visito) daqui a algum tempo, pode ser que ela me surpreenda. A esperança é a última a morrer, não é? 
4/7 -  Gostei mas tenho (muitas) reservas

Sem comentários:

Enviar um comentário