segunda-feira, 9 de abril de 2012

Ana Vichenstein - a feiticeira da mente - Ana Crisóstomo



Ana Vichenstein é uma adolescente de 13 anos de idade, órfã de mãe, que estuda no mesmo colégio desde os seus seis anos de idade. Excelente aluna, óptima cantora e dançarina e ainda uma excelente pessoa.
Tudo isto poderia ser comum a um grande número de adolescentes, não fosse ela uma feiticeira da mente.
No mundo de Ana existem três categorias de feiticeiros, todos eles com as suas qualidades e as suas limitações: os feiticeiros da mente, os feiticeiros com manopoderes (nas mãos) e os feiticeiros da varinha. Não se pense que os feiticeiros conseguem ser aceites na sociedade. Eles vivem à margem, encobertos por detrás de um colégio comum, onde estudam tanto alunos feiticeiros como os outros não-feiticeiros.   
Durante o dia convivem entre si com aulas comuns. A partir da hora de saída dos alunos não-feiticeiros, as aulas de magia são leccionadas numa secção específica do colégio.
Ana entrou naquele colégio sem saber a verdadeira razão. A sua mãe foi morta para a conseguirem colocar naquele sítio a estudar. O seu pai divorciara-se da sua mãe ainda antes deste acontecimento fatídico. Encontra-se sozinha no mundo.
Tudo parece correr bem até que alguns acontecimentos insólitos assolam a vila de Cascais, próximo da zona de Sintra onde fica o Colégio…
No meio de aulas, romance e desavenças, algumas intrigas e lutas serão travadas pelo meio, levando Ana a escolher entre dois lados de uma mesma realidade. A sua lealdade e os seus principios vão ser testados até ao limite, podendo mesmo vir a sofrer com tudo isto.
Uma história do mundo do fantástico com partes hilariantes, românticas e até mesmo comoventes que levarão o leitor a querer ler até à última página.


Ultimamente certas editoras têm apostado nos jovens escritores. Uma dessas apostas da Chiado Editora foi na escritora portuguesa Ana Crisóstomo. Foi ela que me enviou este livro, pelo que estou muito agradecida e peço imensas desculpas por demorar tanto tempo a postar a minha crítica. Na verdade já li o livro há cerca de um ano, e na altura escrevi a critica mas ficou esquecida num caderno de apontamentos. Só tenho a pedir desculpa à Ana Crisóstomo, mas Ana, aqui está a crítica que prometi fazer.
Ana Vichenstein - a feiticeira da mente apresenta-nos um mundo de feiticeiros inserido na realidade actual, onde existem três categorias de feiticeiros dependendo de como conseguem canalizar a sua magia. Ana Vichenstein é uma prodigiosa feiticeira da mente, órfã de mãe e sem conhecer o pai.
Este é uma adolescente de treze anos que se refugia na magia e no namorado…
Em principio o livro tem boas ideias para ter um bom enredo. As aulas de magia mais descritas dão bons momentos à história, e os próprios fundamentos da magia criados pela autora tornam a história diferente e tornam possíveis novos desenvolvimentos. O problema é o resto. Uma rapariga de 13 anos tem um namorado de 16 com o qual passa a maior parte da história a prometer amor eterno vezes sem conta. A principio achei giro. Depois começou a aborrecer por ser demais, por ser repetitivo, e por ser uma coisa impensável para uma rapariga daquela idade.
Outra coisa que também não gostei [spoiler] foi a rapidez com que ela perdoa o pai, quase do dia para a noite, de a ter abandonado e nunca ter dado ar da sua existência durante toda a vida de Ana.
Por fim, achei o final do livro muito inconclusivo. Deve ser para dar espaço a um seguimento, mas podia ser mais desenvolvido. As interações com o vilão, Pedro, podiam ser mais desenvolvidas em detrimento das imensas interações amorosas entre Ana e o namorado.
Enfim, a história tem boas bases para um bom livro. Tenho pena que não tenham sido aproveitadas. Em geral gostei, mas fiquei com muitas reservas em relação a uma possível continuação pois este livro ficou aquém das expectativas.
Como ressalva, talvez seja um livro melhor e mais bem apreciado por uma faixa etária mais jovem.
4/7 - Gostei, mas tenho reservas

Sem comentários:

Enviar um comentário