segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Julieta - Anne Fortier


O que aconteceria se o casal de amantes mais célebre e infeliz da literatura universal, Romeu e Julieta, imortalizados pelo poeta inglês W. Shakespeare, tivessem de facto existido?

Julieta, um ambicioso e sedutor romance, segue a odisseia de uma jovem que descobre que as origens da sua família remontam aos amores frustrados dos dois maiores amantes da literatura: Romeu e Julieta.
Quando Julie Roberts herda a chave de um cofre em Siena, Itália, dizem-lhe que conduzi-la-á a um tesouro de família. A jovem lança-se numa jornada tortuosa e perigosa, mergulhando na história da sua antepassada Julieta, cujo amor lendário por um jovem chamado Romeu abanou os alicerces da Siena medieval.
À medida que Julie se cruza com os descendentes das famílias envolvidas no inesquecível conflito familiar de Shakespeare, começa a perceber que a conhecida maldição – «Malditas sejam as vossas casas!» – continua actual e que ela é o alvo seguinte. Parece que a única pessoa capaz de salvar Julie é Romeu – mas onde está ele?


Este é um livro que me deixa dividida, porque parece estar dividido em duas partes, a primeira mais secante, mais parada, menos entusiasmante, com muita confusão, uma segunda parte que nos faz querer ler mais e mais, querer saber o que se vai passar a seguir, que até se sonha com o teor da história (foi o meu caso)! Contudo este livro pode ser caracterizado, efectivamente, por duas partes que se vão entrelaçando ao longo da história: a história "verdadeira" de Romeu e Julieta (pensei agora nisto: porque se diz sempre Romeu e Julieta e não Julieta e Romeu? Ai machismo!) conhecida através das cartas que esta escreve à sua irmã; e a história da actual Julieta e do seu misterioso Romeu (que durante grande parte da história não sabemos quem é!).
Como disse, a primeira metade do livro parece correr muito devagar, somos colocados perante perguntas e mais perguntas sem qualquer resposta, a personagens e mais personagens que parecem não ter relação nenhuma entre si. Daí a leitura ter corrido tão lentamente - note-se que comecei a lê-lo à um mês! Contudo, uma vez ultrapassada essa parte começa a haver mais acção, a surgir algumas respostas, a haver algum domínio nas decisões feitas por Julieta (a actual) que na primeira parte do livro parecia que andava ali aos sabores do vento ou aos sabores de quem apetecia mandar nela... Nesta segunda parte (mais ou menos a segunda metade do livro) começamos a entender as coisas, daí ser mais entusiasmante a leitura e também mais rápida. Dei por mim a parar a leitura e perceber que tinha estado imensamente abstraída na história que mal tinha dado pelo tempo passar - coisa que já não acontecia à algum tempo.
Enfim, acho que é uma história que vale a pena ler, se estão dispostos a ler a primeira metade mais secante. É uma história onde nem tudo o que parece é e isto pode ocorrer várias vezes (principalmente com certas personagens). Só tenho pena, realmente da história não ser mais coerente, na medida que tem duas partes da história tão diferentes que originam diferentes envolvimentos no leitor - primeiro um envolvimento quase inexistente seguido de uma completa imersão na história. Daí ter dado somente 4 estrelas ao livro e não 5 (avaliação do Goodreads) como a segunda metade realmente merecia.

5/7 - Gostei

Sem comentários:

Enviar um comentário