quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

O Caçador de Sonhos- Sherrilyn Kenyon

O Caçador de Sonhos (Predador da Noite, #11)

Condenado pelos deuses a viver para toda a eternidade sem emoções, Arikos apenas consegue sentir através dos sonhos dos outros. Durante milhares de anos vagueou pelo inconsciente humano em busca de sensações. Agora encontrou finalmente uma sonhadora cuja mente vívida é capaz de preencher o seu próprio vazio.

Megeara Kafieri testemunhou a ruína do pai na sua demanda para provar a existência de Atlântida. A promessa da filha, no leito de morte do pai, de resgatar a reputação dele, trouxe-a até à Grécia, onde a jovem tenciona provar que a mítica ilha está no local identificado pelo pai. Em vez disso, Megeara encontra um estranho a flutuar no mar – um estranho cujo rosto reconhece de muitos dos seus sonhos. O que Megeara desconhece é que Arik esconde mais segredos do que aqueles de que ela precisa para encontrar a Atlântida. Arik fez um pacto com Hades: em troca de duas semanas como mortal, ele terá de regressar ao Olimpo com uma alma mortal... a de Megeara.


[Pensamentos durante a leitura]

  • Txiii... este romance está destinado ao fracasso, esta história está destinada ao fracasso. Com uma sentença de morte a pairar sobre os protagonistas, não sei como esta história poderá ter um final feliz... Hum, muito curiosa!

Este é um livro que a principio (e no meio e no fim) tem tudo para dar errado. A descoberta da Atlântida, o romance dos protagonistas, até a própria vida deles. Tudo. No entanto é delicioso ver como tudo se consegue encaminhar para um final feliz, com uma vida plena de amor entre estes dois.
Esta é uma história que depois vamos a ver, se enquadra antes de Prazer da Noite, antes da história do Kyrian, no entanto é um enquadramento que faz sentido, tanto porque o desenvolvimento de certas personagens tem de ocorrer antes deste e de outros livros seguintes, como faz sentido ler este livro agora, porque já conhecemos de certa forma o tipo de deuses que entra aqui, os Oneroi e os Skotos, os deuses dos sonhos, mas vamos conhecê-los ainda melhor. É supostamente um enquadramento que não faz sentido, mas que depois de ler o livro, enquadra-se perfeitamente.
Na descoberta da Atlântida, conhecemos várias personagens bem únicas como Geary e algumas familiares, revisitamos algumas personagens que já conhecemos como Kat, a Destruidora e Artemisa, mas também ficamos a conhecer mais alguns Deuses bem conhecidos da Mitologia e outras personagens protectoras da Humanidade, embora não pareçam. [Já li algumas críticas ao facto de a escritora andar a escrever menos sobre os Predadores da Noite. É verdade, neste livro aparece apenas um e desconhecido. No entanto, acho que se a escritora não fizer disto uma regra, acaba por não fugir muito ao tema, mas dá-nos a conhecer melhor todo o mundo complexo cheio de divindades e outras personagens bem importantes e únicas.]
Quanto à história, leiam, é uma história de um amor que surge, de emoções que se descobrem pela primeira vez, de um amor que arrisca tudo pelo outro. É linda, é tudo o que posso dizer. Leiam, recomendo totalmente.

6/7 - Gostei bastante

Sem comentários:

Enviar um comentário