quarta-feira, 24 de abril de 2013

Felizes Para Sempre - Patricia Scanlan

Felizes Para Sempre

Quando a lua de mel termina, começa a vida real… A recém-casada Debbie, preocupada com as dívidas crescentes e com as contas do casamento ainda por pagar, não sabe o que fazer com o marido, que se entrega ao consumo de champanhe e de cocaína e que não mostra o mais pequeno desejo de renunciar ao estilo de vida faustoso e tornar-se um marido mais caseiro. Ambiciosa e esforçada, mulher de carreira profissional até à medula, a segunda esposa Aimee fica horrorizada ao descobrir que está grávida. Não quer o bebé, mas Barry quer. Será que o casamento deles se aguenta? Connie, a ex-mulher de Barry, depois de levar Debbie até ao altar, e com um novo homem interessante no seu horizonte, está empenhada em refazer a sua vida. Mas a família precisa dela mais do que nunca para resolver os seus problemas. Poderá ela afastar-se e deixá-los todos sozinhos e, finalmente, começar de novo?


ATENÇÃO: Não aconselho a leitura deste livro a quem ainda não leu o anterior, Tudo Se Perdoa Por Amor, pois é a continuação dele. Para quem ainda não leu esse livro, esta opinião pode (vai) conter spoilers, portanto depois não digam que não avisei!


[Pensamentos durante a leitura]

  • Estou na segunda parte do livro, logo a seguir ao Prólogo, que se chama "Tempo de Acerto de Contas". Bonito...
  • OMG, confirmei agora que este livro e o anterior pertencem a uma trilogia... e o terceiro ainda não está publicado por cá... :S

Em Felizes para Sempre retomamos a história que acabou no livro anterior. Judith continua no hospital, a recuperar, e vai poder analisar a sua vida e sarar algumas feridas importantes. Lily continua a visitar a filha e a tomar decisões importantes, cada vez mais a desafiar os limites que tinha imposto a si própria, em actos de coragem para a senhora. Tom continua a ser o interesseiro e estúpido que já conhecemos, sempre a ver o que fazer para no fim ganhar mais, quando a mãe bater a bota.
Debbie e Bryan continuam cheios de dívidas, cada vez a afundar-se mais, e enquanto Debbie está bem consciente disso e tenta remar contra a maré, Bryan continua a não querer saber disso e a querer divrtir-se... quando é que Debbie se irá fartar disso?
Aimee descobriu que estava grávida e quer abortar, mas... por azar Barry descobre, finca o pé e quer ter esse filho. Vai trazer problemas para eles, problemas para a tão importante carreira de Aimee. E como se isso não chegasse a pobre da Melissa está com um sério distúrbio alimentar. O que vale é que ela e Debbie se estão a dar bem, e Debbie e Connie dão conta do que se está a passar e alertam os pais da adolescente. Mas será que isso é suficiente? Torço bastante para quem ela se possa curar, coitadinha.
Quanto à Santa Connie (como a Aimee lhe chama) finalmente descobre alguém especial. Tão fofinhos, torço bastante por eles.
Para além destas personagens todas, neste livro vamos poder ver a história pela perspectivas de outras: Juliet e Ken, pais da Aimee, cuja vida vai mudar imenso e ainda bem; Drew, o formoso tratador de cavalos, e Mariana, a estúpida, cabra e presumida ex-mulher deste.

Felizmente a autora sabe bem coordenar as perspectivas deste mundo de personagens e não ficamos confusos cada vez que há um salto. A história está muito bem contada e podemos ver os diversos lados da história. Ainda assim, é impossível percebermos os carácteres de certas personagens e por mais que eles ser armem em vítimas para eles mesmos, nós não conseguimos perdoar (pelo menos eu!). Tal como a Cata disse, as personagens são muitos humanas e vamos vê-las como tal. Vamos compreender umas e não conseguir entender outras, vamos tonar o partido de algumas e odiar outras.
É uma história que estou a gostar de ler, embora esteja agora um bocadinho chateada porque tenho que esperar que o terceiro livro seja publicado em Portugal para saber como é que estas embrulhadas todas vão acabar. Por outro lado pode ser que depois sinta saudades destas personagens, não sei.
Na opinião do outro livro, Tudo Se Perdoa Por Amor, disse que não era uma história complexa. Agora discordo um bocado, porque a escritora conseguiu construir uma história para cada personagens, imensas interacções para estas e imensas mudanças a ocorrer nas suas vidas, as perspectivas de todas elas, sem tornar tudo isso numa salgalhada. Está tudo muito bem construído. Recomendo. :)

5,5/7 - Gostei muito

Sem comentários:

Enviar um comentário