sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Três é Demais - Jill Mansell

Três é Demais

Não há família mais glamorosa que os Mandeville.
O casal de celebridades Jack e Cass Mandeville parece ter tudo — boa aparência, carreiras coroadas de êxito e um casamento maravilhoso. Os filhos também são incrivelmente talentosos: a Cleo é supermodelo; o Sean é um comediante de sucesso; e embora Sophie, uma adolescente de 16 anos, esconda a sua aparência sob uns enormes óculos redondos e roupa larga, todos veem que existe um belo cisne ansioso por desabrochar.
Aos olhos da imprensa, a família Mandeville é simplesmente exemplar.
Mas uma ruiva lindíssima, de seu nome Imogen, aparece para entrevistar Jack e Cass na manhã do quadragésimo aniversário de Jack… e a família fabulosa descobre que afinal talvez não seja assim tão perfeita.


Atenção: A minha opinião tem spoiler, mas está assinalado, pelo que podem ler acima e abaixo deste.

Três é Demais abre com o início do fim do feliz e perfeito casamento dos Mandeville. Ao princípio esta família é perfeita, mas depois acabamos por perceber que por debaixo da faceta bem sucedida e feliz desta família, há podres bem grandes.

[spoiler] Vamos a começar: Jack, o pai, trai a mulher que ama há anos e vai viver com a amante e por mais armadilhas que as filhas lhe façam para que ele volte para casa, ele resiste. Sean, o filho do meio e um comediante famoso, tem um caso com uma rapariga que o fascina imenso, acabando por a engravidar. Durante toda a história vemo-lo a humilhar e desprezar a pobre da rapariga, embora ele diga que a ama. Hem? Como é possível? Ele ama-a e depois tem atitudes daquelas? Incompreensível. Cleo acaba por se apaixonar pelo irmão da namorada do irmão, mas acaba por quase lhe meter os cornos e o rapaz fica a saber porque foi um amigo dele que tentou a rapariga de propósito para a testar - ideia dela, porque ela já o tinha feito a um noivo de uma amiga. No final acabam por se dar... Já Cass, depois de atitudes muitos estranhas e quando se encontra namorada de alguém, quando o marido lhe pede para voltarem (já depois de divorciados), eles decidem voltar a formar a família feliz. Hem? Quanto a Sophie, até é uma boa rapariga, o patinho feio daquela família que não se quer transformar em cisne. Algures no meio da história lá decide fazer uns papéis como modelo para ganhar dinheiro para fazer voluntariado no Uganda, mas depois de uma situação traumática, acabamos por ficar sem saber o que afinal o que vai acontecer à rapariga. Situação esta que parece que foi lá enfiada para meter chouriços ou encher um bocado ou inserir alguma situação com mais drama... não sei, não se consegue perceber muito bem, parece uma situação que caiu do céu.
[acaba o spoiler]

Para quem não quis ler o spoiler, basicamente esta é uma família com canalhas e gente muito estranha com atitudes que não se percebem. Toda a história se baseia neles e nas suas relações amorosas ou não, nos vais e vens sem conta. É uma história com piada em certos momentos, mas que acaba por parecer uma novela! Apesar de gostar (vá, tentar gostar) da leitura, via-me por várias vezes a desprezar as personagens... Há situações que não se percebe porque foram escritas, parece que a história vai sendo relatada mas que no fim não chega a lado nenhum. Outra coisa que não gostei é que a história dividida em capítulos e em partes dentro de cada capítulo não tem nada que nos indique quando tempo passou desde a última cena. Quantas vezes eu pensava que aquela cena era logo a seguir à última e afinal já se tinham passado meses! No final vamos a ver e esta história relata-nos dois anos e meio daquela família. E não tem em nenhum sítio alguma referência à distância temporal entre cenas... :S

Uma outra coisa que me confundiu foi a idade dos filhos do casal principal. Apenas a idade da Sophie é referida, que sendo a irmã mais nova até parece ter comportamentos mais maduros que os mais velhos. Quantos aos irmãos mais velhos de Sophie, não poderão ser muito mais velhos (vintes) devido aos pais terem quarenta anos, mas por outro lado para a profissão que têm e as acções que fazem, parecem ser mais velhos... Je ne sais pas.

Enfim, a Jill Mansell tem livros bestiais que adoro ler, mas este, apesar de ser cómico em algumas artes, é um autêntico falhanço.

2/7 - Detestei mas tem algum mérito (pela Sophie, que bem o merece)

6 comentários:

  1. Bahhh foi exactamente isso que pensei. primeiro que tudo detesto histórias onde há traições. Opah não gosto e irrita-me profundamente porque só me apetece esganar as personagens!!!!!

    Pior que isso só mesmo violações e gajas armadas em santas quando têm o diabo no corpo eheh.

    ps- adoro o look do blog =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Inês! Tens toda a razão, aquelas personagens eram mesmo iritantes... :/
      E Obrigada pelo elogio :)
      Beijinho

      Eliminar
  2. Bem, de uma forma ou de outra, fiquei curiosa com este livro... hum!

    Beijinhos,

    cor-de-rou.blogspot.com
    https://www.facebook.com/corderou

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sara! Espero que possas ter uma boa leitura. Depois diz o que achaste! :)
      Beijinho

      Eliminar
  3. Olá Sara!
    Epa... ainda não li este livro, aliás, já não leio Jill Mansell há um tempo considerável, mas quer-me parecer que este não vai entrar para a lista. A sério, parece uma autêntica telenovela... E essa gente é estranha, muiiito estranha. E parece-me que os personagens têm uma visão algo (muito seriamente) distorcida do amor. Ah e tal, eu amo-te, mas vou ali ter com a amante, ou então vou-te ignorar...etc, etc. Mas no meio desse rodízio, talvez a única que se escape seja a Sophie... Enfim...
    Seja como for gostei de ler a tua opinião :)

    Beijinhos e boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Lia! Realmente no meio de tantos livros bons da Jill Mansell, este sai uma tremenda desilusão... não recomendo de todo.
      Enfim, que venham melhores leituras! :)
      Beijinho

      Eliminar