segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Uma Luz na Escuridão - Catherine Anderson


Poucos autores escrevem histórias comoventes e de inesgotável ternura como Catherine Anderson. As suas personagens partilham com o leitor a esperança de encontrar o amor perfeito de uma vida inteira.No intuito de por a salvo a sua vida e a do seu bebé, das mãos de um padrasto violento Maggie Stanley, arrisca tudo numa fuga desesperada passando de um perigo para outro ainda maior. Desde a trágica morte da mulher e dos filhos, Rafe tornou-se num pobre vagabundo que lentamente afoga as suas mágoas no álcool. Assim que conhece Maggie, Rafe pressente que vão envolver-se em problemas. E quando Maggie é subitamente atacada por um grupo de vagabundos, Rafe, por compaixão, decide salvar a jovem mãe e o seu filho. Maggie está simultaneamente grata e preocupada com o seu novo protector. Na extrema solidão, na fase mais sombria que jamais viveu, a compaixão de um desconhecido, muito atraente mas pobre como ela, surge como uma luz na escuridão e proporciona-lhe o conforto e o carinho que sempre desejou e nunca teve. Rafe é bem mais do que aquilo que parece. É um homem enigmático e secreto, que poderia dar a Maggie o céu e a terra, não fora a circunstância de ter jurado a si próprio viver sozinho o resto da sua vida.Para sua surpresa, também Rafe descobre que pela primeira vez, desde há muito tempo, alguém necessita da sua ajuda e está determinado em não os desapontar. É que às vezes o amor surge sem aviso prévio e transforma o mundo mais frio e desapiedado num verdadeiro paraíso. E um homem a quem quase tudo foi roubado, uma mulher que perdeu até mesmo a capacidade de sonhar, e a criança desprotegida que de ambos necessita, podem tornar-se a mais improvável e a mais fabulosa das criações: uma família.



Isto sim, é um livro a valer! Um bom livro que nos faz esquecer a realidade, e ler, ler, ler, sem noção de onde estamos. A única noção que resta é a história que estamos a ler.
Não sei porque nunca disse que Catherine Anderson é uma das minhas escritoras favoritas. Como romântica que sou, as histórias dela enchem o meu coração, fazendo-o levitar, fazem-me sonhar, enfim, são histórias lindíssimas. São daquelas que nos fazem acreditar no amor além fronteiras, além vida e morte, do mais puro que há.
É desse tipo de amor que relata esta história. Por um lado, temos Maggie, uma personagem bem oprimida, mas que resiste a tudo para proteger o seu filho e a sua irmã. E temos Rafe, alguém que perdeu quem mais amava e não vê a luz ao fim do túnel, ou neste caso, ao fundo da garrafa. Até que vê os olhos grandes e castanhos de Maggie. Aí tudo muda e dá uma nova razão de viver a este vagabundo, uma personagem que mostra que as aparências podem enganar imenso.
Temos ainda um vilão, alguém cruel, maníaco, possessivo, louco. Uma personagem necessária à história, mas que nos faz odiá-la com todas as nossas forças e mais algumas. Mesmo quando os nossos queridos protagonistas estão longe deste sacana, sabemos que não estão a salvo, sabemos que brevemente algo irá acontecer para os abalar de novo porque aquele louco não os deixará em paz.
Enfim, temos aqui uma história de emoções fortes, de momentos marcantes e enternecedores e personagens inesquecíveis. E claro, o início de uma série lindíssima (que só agora pude ler - já li livros mais avançados). Recomendo a todos os românticos que por aí há. :)

P.S. No entanto, há que destacar que o livro merecia uma revisão mais cuidadosa. Há certas gralhas que podiam ser evitadas.

6/7 - Gostei bastante

Sem comentários:

Enviar um comentário