segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Acasos Felizes - Jill Mansell


Acasos Felizes
Making your mind up

Jill Mansell
Livro Único

Editora Saída de Emergência (2013)
400 páginas

Origem: Biblioteca
5/7 - Gostei




Lottie não consegue acreditar no que lhe está a acontecer. Quando se é adolescente e se está apaixonada por um rapaz completamente inadequado, espera-se que os pais levantem objeções. Mas Lottie já está na casa dos trinta, é uma mulher feita, e nunca imaginou que os filhos lhe pudessem fazer a vida negra por causa do seu novo namorado. Pois é, para eles, Tyler é o diabo em pessoa. O que há de ela fazer? Estará autorizada apenas a namorar homens que tenham a aprovação deles? Não terá já preocupações suficientes com o irresponsável do ex-marido a aprontar das suas? E, para piorar as coisas, entra em cena Seb, um homem charmoso que disputa as suas afeições e que as crianças adoram. Os sarilhos e toda uma série de acasos não parecem ter fim. Conseguirá o verdadeiro amor encontrar um caminho para o coração de Lottie?


Após lido este livro, fico contente que não haja tantas voltas e reviravoltas que a autora nos tem acostumado nos últimos livros - o que me deixa contente, by the way. Ainda assim este livro não é dos melhores de Jill Mansell, é apenas melhor que os anteriores que tenho lido. Mas talvez seja melhor começar pelo princípio e não deixar as conclusões logo de início.
Tal como a sinopse diz, os filhos de alguém divorciado são um factor muito importante na escolha ou na decisão de escolher um namorado. Que o diga Lottie. Apesar de Tyler ser um bom partido, ele só consegue enfurecer e entristecer os filhos de Lottie, pelo que para eles, Tyler é um monstro e ponto final. Coitadinho do nosso casalito que não conseguiu ir a vias de facto. A par desta história, temos o mulherengo ex-marido de Lottie que tem dificuldade em assentar, apesar de desta vez ter uma namorada de jeito, há uns bons meses... mas nem tudo é o que parece. Temos ainda Freddie, o patrão de Lottie que está em vias de ir desta para melhor e pede a Lottie para encontrar algumas pessoas do seu passado - o que nos leva a algumas boas e más memórias deste sujeito. Esta personagem e as suas memórias são uma bela adicção a esta história, enriquecendo-a quer pela história associada quer pelas emoções que nos faz sentir. Depois temos ainda Seb (que raio de nome que afinal é diminutivo de Sebastian - ou coisa do género), alguém que vai disputar os afectos de Lottie e Liana, uma pessoa aparentemente perfeita e que gosta de Tyler. Enfim, apesar de haver aqui várias possibilidades de casalinhos, felizmente há poucas reviravoltas no que a eles diz respeito, e as que há são bem justificadas.
Esta é uma boa história, com humor e outros sentimentos, que nos faz torcer por um determinado casalinho, mesmo quando não conseguimos ver quando isso irá acontecer. Aqui tenho a dizer que a forma como as circunstâncias que os separavam (quem? descubram vocês :P ) se resolveram foi um tanto quanto abrutalhada. Apesar de geniais, os acontecimentos em questão podiam ser maiores, mais bem descrevidos - achei haver alguma pressa na conclusão da história.
Mas enfim, é uma história que recomendo para quem gosta de romances com comédia ou de uma história para descontrair. Lá está não é o melhor de Jill Mansell, mas é bom para passar um tempo bem passado.

2 comentários: