quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Filha da Magia - Barbara Bretton


Filha da Magia
Spells & Stitches

Barbara Bretton
Sugar Maple #4

Editora Quinta Essência (2013)
344 páginas

Origem: Biblioteca
3/7 - Nem gostei nem detestei

+1 Finish The Series Reading Challenge 2014


Em Sugar Maple, Vermont, Chloe Hobbs não podia estar mais feliz com a sua gravidez. No entanto, com a chegada da nova moradora da vila, as coisas vão tornar-se ainda mais mágicas! Laria é um bebé perfeito e Chloe e Luke são uns pais babados mas, ao descobrirem que Laria sai à mãe nas artes mágicas, torna-se claro que a bebé pode ter mais poder do que aquele com que uma profissional como Chloe consegue lidar. Em Filha da Magia, Barbara Bretton continua a saga iniciada em Feitiços de Amor, A Magia do Amor e Sonhos Encantados.


É possível esta saga descer mais? Devo dizer que quando peguei no primeiro livro, há cerca de 4 anos atrás, foi simplesmente uma lufada de ar fresco, uma leitura que me animou o dia, que me aliviou dos estudos na altura, foi um livro verdadeiramente apreciado. Apesar de não ser um livro 5 estrelas, foi um bom livro, uma boa leitura. Veio o segundo livro e este já não conseguiu chegar aos calcanhares do anterior. Foi bonzito, está bem, mas não tão engraçado nem tão brilhante. De seguida, o terceiro, e a fasquia continuava a descer. Ainda assim continuei, porque apesar da história ser cada vez menos fascinante, eu continuava curiosa com as personagens, com o potencial da história e do mundo criado em Sugar Maple. Estando o quarto livro e último livro à vista, as expectativas subiram, todos diziam ser o melhor livro da saga, que valia a pena ler, que até dava para ler o livro isoladamente. Mas, desculpem-me todos os que lerem e adoraram este livro, para mim foi uma desilusão. Vamos lá.

Em Filha da Magia, Chloe está grávida e presa à impossibilidade de mandar embora a troll que o seu avô recentemente descoberto lhe impingiu para que ajudasse ao nascimento da pequena Hobbs que ai viria. A par disto temos ainda a enorme família que Luke tentava afastar da vila mágica, mas que com o conhecimento da gravidez, entra pela vila e pela vida deste casal dentro. A sinopse prometia uma história bem empolgante devido à pequena Hobbs que uma vez nascida promete mais magia do que Chloe consegue lidar. Mas sejamos sinceros: à parte de umas pequenas manifestações de magia que a bebé faz e cuja autoria é apenas esclarecida no final da história, tudo o resto é tanga.

Basicamente esta história baseia-se nos precalços da vinda da família da Luke e nas tentativas de esconder a magia destes; no nascimento de Laria, a bebé de Chloe e Luke, que foi imprevisível para eles, apesar de suspeitarmos cedo do que ia acontecer; numa ida às urgências por algo que acontece a Laria mas que para além do propósito de nos dar mais pistas acerca de um sujeito desconhecido que aparece na história, não serve para mais nada, já que não é esclarecida a causa do que aconteceu a Laria; e um acontecimento final, que serve para dar um bocadinho de drama e propósito à história, para nos mostrar quem é o indivíduo desconhecido e o seu objectivo na história, para mostrar mais uma vez a inabilidade de Chloe de fazer algo de jeito, apesar de supostamente ser mágica (já agora ela é o quê ao certo? nunca disseram a espécie mágica a que ela pertencia) e para confirmar que a bebé tem poderes que nunca se imaginou mas que pouco são mostrados. Lá está, espera-se um história cheia de magia devido à pequena Laria, mas calha-nos uma embrulhada de todo o tamanho, que não gostei.

Esperava muito mais desta saga e especialmente deste livro, quer pela sua sinopse, quer por ser o último livro da saga e também por ler tão boas opiniões dele. Foi uma desilusão por completo. Ainda bem que me limitei a comprar o primeiro livro - se comprasse os outros, era puro desperdício de dinheiro.


Livro anterior
Sonhos Encantados (Sugar Maple #3)

Sem comentários:

Enviar um comentário