quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Dei-te o Melhor de Mim - Nicholas Sparks


Dei-te o Melhor de Mim
The Best of Me

Nicholas Sparks
Livro Único

Editorial Presença (2011)
304 páginas

Origem: Biblioteca
3/7 - Não gostei nem detestei




Este novo e aclamado romance de Nicholas Sparks conta a história emocionante de Amanda e Dawson, dois adolescentes envolvidos na mágica experiência do primeiro amor. Contudo, sob a pressão familiar e social, são obrigados a seguir vidas distintas. Somente vinte e cinco anos mais tarde voltam a encontrar-se, por altura da morte do único homem que tinha protegido o jovem casal apaixonado. E se para ambos o amor de outrora se revela intacto, confrontam-se inevitavelmente com as escolhas feitas e os compromissos assumidos. Qual então o sentido daquele encontro, se nada podia mudar o passado?


Quando soube deste livro até me admirei nunca o ter lido. Mas após ter visto a data de lançamento em Portugal, lá percebi, ele foi editado por cá já depois da minha leitura sem parar de livros do Nicholas Sparks, autor que já não pega há alguns anitos.
Devo dizer que este livro foi algo aborrecido de ler. Fui lendo, mas sempre sem grande interesse. As personagens não são das mais inspiradoras, o seu reencontro é um bocado sem sal e que não leva a nada. Basicamente a história vai-se passando, algumas coisas vão acontecendo, e a acção decorre mais no fim, quando tudo se resolve (ou não) e a vida de uns dá mais significado a outros.
Ná, decididamente, este autor sabe escrever melhor. E até me admirei de isto dar origem a filme. Vá-se lá entender os gajos da industria cinematográfica.

3 comentários:

  1. Nicholas foi dos primeiros romances não infanto-juvenis que comecei a ler com 15/16 anos, comecei com "O Diário da Nossa Paixão" e até à data é um dos livros mais bonitos que já li e o filme já vi centenas de vezes, apesar de não ter quase nada a ver com o livro, como de costume.
    Depois fui lendo outros e apreciei... Até prai os 8 seguintes!! Porque depois, desculpem lá, mas é "vira-o-disco-toca-o-mesmo".
    É impressão minha ou em quase todos os livros as personagens amaram-se, afastaram-se, viveram vidas malucas e depois voltam às terrinhas, drama, drama, apaixonam-se novamente, drama, drama?
    É que em quase todos os que li dele, até que já desisti era sempre o mesmo, só mudava as paisagens e os tipos de dramas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Liliana! É isso mesmo, após ler tantos livros de Nicholas Sparks fica mesmo aquela sensação que é "vira o disco e toca o mesmo". Daí ter parado de ler livros dele, porque foi uma fórmula que se tornou aborrecida. Também estou a falar e sou uma enorme fã de Nora Roberts de quem dizem o mesmo! No entanto embora encontre características parecidas e recorrentes nos livros desta autora, há muitas diferenças de livro para livro e por isso continuo a ler sem me fartar.
      Voltando a Nicholas Sparks, os livros mais diferentes e que, por isso, mais adorei são Um Momento Inesquecível e A Melodia do Adeus. Parecem livros mais juvenis mas contêm uma mensagem tão forte que perduram como meus favoritos. E as suas adaptações cinematográficas são favoritas também :) Já o Diário da Nossa Paixão não foi o livro que mais gostei dele. Ainda não vi o filme, mas está na lista para ver!
      Beijinho

      Eliminar
    2. Já no meu caso os meus filmes e livros preferidos dele são "O Diário da nossa paixão" e "Um Momento Inesquecível" :)

      Eliminar