sexta-feira, 18 de março de 2016

Os Jogos da Fome - Suzanne Collins


Os Jogos da Fome
The Hunger Games

Suzanne Collins
The Hunger Games #1

Editorial Presença (2009)
260 páginas

Origem: Biblioteca
6/7 - Gostei bastante



Num futuro pós-apocalíptico, surge das cinzas do que foi a América do Norte Panem, uma nova nação governada por um regime totalitário que a partir da megalópole, Capitol, governa os doze Distritos com mão de ferro. Todos os Distritos estão obrigados a enviar anualmente dois adolescentes para participar nos Jogos da Fome - um espectáculo sangrento de combates mortais cujo lema é «matar ou morrer». No final, apenas um destes jovens escapará com vida… Katniss Everdeen é uma adolescente de dezasseis anos que se oferece para substituir a irmã mais nova nos Jogos, um acto de extrema coragem… Conseguirá Katniss conservar a sua vida e a sua humanidade? Um enredo surpreendente e personagens inesquecíveis elevam este romance de estreia da trilogia Os Jogos da Fome às mais altas esferas da ficção científica.


O livro que veio dar o tiro de partida para o buum das distopias. Não foi o primeiro que li, mas sem dúvida que foi dos mais marcantes. Tendo já visto o trailer do filme, sabia que um dos pontos marcantes da história seria o voluntariado de Katniss para substituir a irmã e logo desde o início estava ansiosa por esse momento. Pois é esse o momento que vai definir toda a mudança neste mundo distópico, é ele que vai iniciar, embora de forma subtil, a revolta.
Este é um livro com acontecimentos fortes, marcantes, cheios de emoção e violência. Katniss não tem uma vida fácil até entrar nos Jogos da Fome, mas isso acaba por lhe dar algumas vantagens quando entra nos tão temidos jogos. Ela acaba por não ser uma típica heroína, porque embora tenha a fortaleza para ser o pilar da sua família, tem também muitas fragilidades e dúvidas acerca de si mesma, do que consegue. Porque apesar de ser a rapariga em chamas, ela não se apercebe disso.
Cheio de acção e não nos permitindo parar a leitura, esta história vai-nos perseguir até a acabar, e possivelmente, até depois disso. Não é daquelas histórias que se esquecem. Suzanne Collins começa aqui uma trilogia diferente, marcante e que nos vai deixar muito em que pensar. E sentir.

Sem comentários:

Enviar um comentário